Insanity Seeker

A Loucura o leva à verdade, assim como a Verdade o leva à Loucura.


A coisa mais misericordiosa do mundo, creio eu, é a incapacidade da mente humana em correlacionar todo o seu conteúdo.
Vivemos numa plácida ilha de ignorância em meio a negros mares de infinito, e não está escrito pela Providência que devemos viajar longe.
As ciências, cada uma progredindo em sua própria direção, têm até agora nos causado pouco dano; mas um dia a junção do conhecimento dissociado abrirá visões tão terríveis da realidade e de nossa apavorante situação nela, que provavelmente ficaremos loucos por causa dessa revelação ou fugiremos dessa luz mortal rumo à paz e à segurança de uma nova Idade das Trevas.
H.P. Lovecraft

The Healings of Time: The Black Knight

January 28th, 2010 by Lordspy

Mal me contive de alegria quando ganhei meu primeiro Cronodeslocador, na época não entendia a responsabilidade de ter um, afinal, por ser filho único sempre conseguia o que queria de meus pais e como meu pai era da Intempol eu era fascinado com as histórias do tempo…Não, não viagem no tempo, eu digo histórias do tempo mesmo, da própria humanidade, principalmente idade média, uma era que até mesmo hoje, com nossa tecnologia, com a viagem no tempo e com a Intempol, ainda continua obscura e sem referências.

Então você resolveu…

Não, não… eu não resolvi nada… tudo que eu queria era conhecer um pouco mais. Apenas observar, sem ser observado, e assim não alterar nada.

E por isso você acabou sendo perseguido pela Intempol?

Não. A perseguição veio depois. As primeiras viagens foram muito tranquilas. Calculava bem e ia apenas quando a noite caia. Pegava meu aerociclo e os equipamentos de proteção, como todos eram pretos, era fantástico, a noite me cobria. Alem do mais, o chão de pedra ou terra batida em contato com o coturno de couro não fazia ruído algum. Era perfeito, eu entrava e saía de lugares sem que ninguém suspeitasse e o capacete de proteção protegia minha identidade.

Até que suspeitaram?

Eu nunca soube quando começaram as histórias de fantasmas ou assombrações. Não os literários, como Lovecraft. Sabemos que o Horror Sobrenatural na Literatura começara de fato com ele, com raras e leves incursões anteriores a ele, mas as histórias faladas mesmo… Bem, agora eu tenho uma leve idéia e como ninguém também sabia, não faz muita diferença.

Mas você foi perseguido, não?

Claro que fui, mas nunca disse que fora por isso. Deixe-me contar minha história e depois você faz as perguntas que sobrarem. Afinal, é por isso que você está aqui, não? Saber por que minha história saiu na Mentela e ter um pouco mais de audenção.

Você sabe o que é audenção?

Suspeito que seja uma palavra criada com as misturas de Audiência + Atenção, se bem que a segunda eu escolheria redenção, afinal, olhe o que acontece com aqueles que lhes “consome”… hehe

Agora, não me atrapalhe e me deixe contar. A idéia era eu ser invisível aos olhos da história que eu visitaria. Por um bom tempo visitei a França, a Inglaterra, Itália e Espanha. O motor silencioso do Aerociclo ajudava bastante e a altura era perfeita para observar e às vezes ouvir sem ser incomodado.

Acho que você soltou as bruxas também.

Hahaha… É possível, mas se tivesse teria sido pego muito antes… e não pela Intempol, mas pelos acerebrados fundamentalistas que usam a religião como escudo para aquela época.

Só aquela?

Não é pra esse tipo de discussão que estou aqui. Continuando, então resolvi assistir um dos antigos episódios daquilo que vocês chamavam TelaVisão, que apenas é uma exibição de um modelo sequencial de informação visual e auditiva que antigamente era tratado como um dos principais meios de informação e… “entreteninemto”. Embora eu acredite que deixasse o povo tão inerte e inepto como a Mentela.

Acredito que, à época, era chamado de “Documentório”, era uma apresentação do que se sabia sobre a Idade Média na época e muita coisa jamais chegara a nosso conhecimento. Mesmo porque era uma época de pura especulação. Ja te disse, a Idade Média foi uma era com pouca informação histórica. E na época da TelaVisão não existia o Cronodeslocador. Eles conheciam a história por meio de documentos de origem ou veracidade duvidosa e de adivinhações ao encontrar símbolos e objetos de uma época remota.

E então você viu algo que achou injusto e foi fazer justiça com as próprias…

Nada disso. Num desses “Documentórios” foi mencionado muitos dos contos e mitos que surgiram nessa época. E como em todo processo de criação de mitos há um pequeno fundo de acontecimento real, tênue, mas há, me interessei por um dele para investigar. O Cavaleiro Negro.

Ora essa, alguém que viera do antigo continente dos Sóis. Qual era o nome… tinha a Éfrica, ou Ábrica e a America era menos dividida.

Eu não disse cavalheiro, seu estúpido. Cavaleiro, pessoas ou guerreiros que andavam a cavalo, um animal de medio porte que andava nas quatro…

Ok, ok… eu conheço, já vi um no ZooLógico. Mas ele era negro, não, deve ter vindo de um desses con…

Não. Na época os exércitos das castas políticas usavam Uniformes, como os nossos, mas eram muitas castas, chamadas feudos e cada uma possuia um conjunto de cores. E o negro, do cavaleiro, era o uniforme que ele usava.

E ele pertencia ao… feldo, é isso? feldo? (que seja) mais poderoso, por isso preto…

Às vezes eu acho que vocês jornalistas não sabem pensar, mas não, o preto dizia-se que era porque ele não pertencia a feudo algum ou porque não era de interesse que o feudo fosse sabido, muito útil para missões de espionagem e assassinato.

E você então tomou a espada da justiça nas mãos e voltou para impedir que assassinatos pelo cavaleiro negro fossem cometidos?

Eu não tinha te dito que tinha ido apenas para observar? (sim) Então cale-se e me deixe terminar, afinal, pra sua informação, tal cavaleiro negro nunca existiu.

Sei. E quanto ao tal: “Tem um Fundo de Verdade”? Não somos idiotas, afinal, eu fiz um pouco minha lição de casa e pesquisei também sobre essa época. Aparentemente uma dama fora sequestrada pelo suposto “Cavaleiro Negro” e jamais vista novamente.

Sim, isso é o que todos dizem, mas eu sei que não é verdade. Primeiramente porque o Cavaleiro Negro não existe, ou melhor, não existia. E em segundo, tal “Dama” nunca fora sequestrada. Não tenho culpa dela ser perfeita e nos apaixonarmos.

Então você…

A audiência vai começar, o tribunal requer sua presença.

Vai dar uma boa história de amor. Pena que o final não seja feliz.

Não contaria muito com isso. Afinal, até eu chegar, nunca tinham ouvido falar de um Cavaleiro Negro cuja chegada ou saida jamais era anunciada, sequer pelo som dos cascos de seu cavalo infernal. Sugiro você entrevistar o investigador que conseguiu me descobrir. Talvez a história da perseguição seja mais interessante que a minha.

Boa Noite

One Response

  1. Dani Sampaio

    Spy, o Fred me passou seu blog, tava quase fechando o computador e me deu curiosidade de ler o que vc escreve. São quase 3 da manhã e to aqui encantada, como vc pode imaginar essa entrevista? parece mesmo que vc se transformou em duas pessoas – o entrevistado e o entrvistador – pra escrever, incrível o texto. Comentei com o Fred: acho que só quem joga rpg consegue um feito desse. Parabéns!!!Muita saudade de vc!!!! Bjão.

    [WORDPRESS HASHCASH] The poster sent us ‘0 which is not a hashcash value.

Leave a Comment

Please note: Comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.